quinta-feira, outubro 27, 2005

Bloc Party

Bloc Party, são uma das novas revelações da música britânica. Surgem com novas ideias sobre o rumo que o mundo da música deve seguir e quais os prblemas que se devem evitar.

'So Here We Are', um dos singles mais ouvidos do álbum de estreia "Silent Alarm", lançado no ínicio de 2005, poderia ser a frase de apresentação dos Bloc Party.

Inspirados por nomes como Pixies, Joy Division, Sonic Youth e Franz Ferdinand, os Bloc Party alcançaram rapidamente o sucesso afirmando-se como uma das bandas revelação de 2005 no panorama do indie rock/art-punk.

A formação inicial do grupo remonta a 2002 quando Kele Okereke (vocalista e guitarrista) e Russell Lissack (guitarrista) decidiram criar os "Angel Range" aos quais se juntariam, um pouco mais tarde, Gordon Moakes (baixista e vocalista) e Matt Tong (baterista). Já em quarteto, passariam a chamar-se "Union" até assumirem definitivamente o nome de Bloc Party. Foi num concerto dos Franz Ferdinand, através do seu vocalista, Alex Kapranos, e do radialista da BBC Steve Lamacq, que os Bloc Party tiveram a oportunidade de apresentar uma demo com o single 'She's Hearing Voices'.

Na digressão pelos Estados Unidos e pela Europa, para promover o seu primeiro disco, a banda britânica apresentou ao vivo alguns temas novos que poderão integrar o seu segundo álbum. Entretanto os Bloc Party lançaram o disco "Silent Alarm Remixed", onde remisturam os temas do seu primeiro álbum de originais, e um novo single: 'Two MoreYears'. O grupo participou, ainda, na edição do single 'Black History Month' dos Death From Above 1979, na compilação "Help: A Day In The Life", a favor das crianças vítimas da guerra, e numa das faixas do álbum "Push the Button", dos Chemical Brothers, através do seu vocalista, Kele Okereke.

Com reconhecimento de outros músicos, da crítica e do público, os Bloc Party foram nomeados para os prémios Mercury Music Prize, em Inglaterra, mtvU Woodie Awards, que distinguem os artistas mais populares junto dos universitários norte-americanos e recentemente foram nomeados para os Prémios MTV VMA (Video Music Awards)

Ficam aqui algumas foos oficiais do site:
http://www.blocparty.com/go.php?object=gallery

quarta-feira, setembro 07, 2005

MESA, música portuguesa à refeição...

Este post surge pela proximidade do lançamento do 2º álbum do grupo português, entítulado "Vítamina", previsto para a data de 12 de Setembro e tambem pela proximida do concerto do grupo em Alpiarça, inserido no programa das festas do Alpiagra, no dia 16 de Setembro. Deixo agora para uma fácil precepção do grupo uma pequena biografia.

Os MESA nascem em 2000, depois de passarem algum tempo em laboratório.No final de 2001, surge a primeira maquete que obtém divulgação no programa de Henrique Amaro (Antena 3) e que fazem surgir artigos no DN e no Blitz.2002 torna-se o ano da consolidação do grupo. É também o ano da participação na colectânea da POP UP SONGS - OPTIMUS 2002 com o tema "Divagadora", que "rodou" com bastante insistência durante o Verão desse ano. As maquetes e as actuações ao vivo chamam a atenção das editoras e no final de 2002 assinam com a Zona Música.O álbum de estreia é editado a 19 de Maio de 2003. A recepção da crítica é excelente e os MESA assumem-se de imediato com um dos projectos mais promissores da música portuguesa. O single "Esquecimento" recebe um forte apoio de rádios nacionais.Ainda em 2003 é feita uma 2ª edição do álbum "Mesa". Uma edição de "luxo" que, além do novo grafismo, conta com uma tema inédito "cantado" por Scott Walker através da recuperação das gravações do tema 30 Century Man, incluído no álbum "Scott 3" e uma faixa multimédia com o video-clip de "Esquecimento".A qualidade dos MESA chama entretanto a atenção da EMI Music Portugal. Com o conhecimento da Zona Música iniciam-se os contactos que viriam a resultar na assinatura de contrato que prevê a reedição de "MESA" e de novos registos da banda. Os MESA figuram de forma unanime nas listas de melhores do ano nos jornais portugueses e começam a fazer-se notar além-fronteiras, com artigos elogiosos na imprensa Alemã, Inglesa, Brasileira e Espanhola. Em Maio último ganham o Globo de Ouro na categoria de Melhor Grupo do Ano, no Dance-Club Music Awards o galardão de Melhor Disco do Ano e "Mesa" é ainda eleito pela Antena 3, como o melhor disco de 2003.

O grupo é constituído por:
Mónica Ferraz João Pedro Coimbra Jorge Coelho
Bruno Macedo Eurico Amorim Miguel Ramos

quarta-feira, agosto 10, 2005

No ano em que completa 30 anos de carreira, João Gil traz-nos um novo projecto "Filarmónica Gil"

Às composições do músico juntaram-se as letras de João Monge, a musicalidade de Rui Costa , na voz de Nuno Norte. Cumplicidades num trabalho colectivo, partilha de vivências de três gerações diferentes.João Gil. Compositor com palmarés invejável (desde os Trovante, à Ala dos Namorados, passando por vários sucessos como Rio Grande e Cabeças no Ar), um dos maiores do nosso tempo, volta a presentear-nos com grandes composições bem portuguesas. Ou seja a celebração de 30 anos de uma carreira memorável.
Rui Costa - ex-Silence 4, músico de enorme talento, co-responsável por alguns dos maiores sucessos da banda entretanto extinta, agora a trabalhar nos arranjos e na produção de canções cantadas em português.
Nuno Norte -O cantor- revelação ao vencer a primeira edição do programa Ídolos, possui uma voz surpreendentemente madura, capaz de construir as personagens multifacetadas desenhadas pelas composições de João Gil e letras de João Monge, encontra aqui, finalmente, grandes canções através das quais pode revelar todo o seu talento.Odisco do mesmo nome, é o primeiro resultado de um novo projecto que fala das vivências e das emoções da vida quotidiana.
Num registo em jeito de conversa numa sala de estar entre amigos que, afinal, podia ser de qualquer um de nós.

É só escolher.... Novos Valores

São iniciativas deste género que valorizam um meio de comunicação como a internet.
No site
123som.com é nos dada a oportunidade de conhecermos alguns dos novos valores emergentes no mundo musical português e até ouvirmos pequenas maquetas dos grupos.
Não vos digo mais nada, pois quero que sejam vocês a descobrir...

segunda-feira, agosto 01, 2005

Coldplay...


São um grupo que já não necessitam de apresentações, toda a envolvente do grupo foi algo que surgiu devido ao seu sucesso como músicos. Conseguiram juntar-se para criarem música 24 horas dia, 7 dias por semana e esse factor cria uma dinâmica igual e parece que já nem precisam de falar para saber o que o outro vai fazer.


Jon-Guitarrista


Will- Baterista Guy-Baixista



Chris-Vocalista

Editaram o seu primeiro álbum em 2000, entitulado "Parachutes", onde se destacam faixas como:"Yellow", "Trouble", "Don't Panic" e "Spies". Um álbum aparentemente simples numa primeira audição, mas com o tempo se denota bastante trabalhado em vários aspectos.

Em 2002 surge um dos álbuns mais vendidos nesse mesmo ano."A Rush Of Blood To The Head", marca toda a importância, o valor musical e o mediatismo que o grupo atingiu após o primeiro álbum.Deste disco são de referir temas como:"In My Place", "Scientist", "Clocks" e "Politik".

Falta ainda referir o recente lançamento do álbum "X&Y", onde se destacam os temas:"Speed Of Sound", "X&Y" e "What If".

Nos dias de hoje, acho que tambem é importante referir que um grupo de música se dedica a ajudar de uma forma tão incessante causas mundiais, sendo na organização Trade Fare que têm um papel com maior destaque.

Videos e músicas do grupo

Post By:Guilherme Xarim

Marcus Miller-jazz com carácter

Depois do sucesso do duplo álbum ao vivo «The Ozell Tapes», o extraordinário baixista Marcus Miller está de regresso para um - aguardado com enorme expectativa - sexto álbum de originais, chamado «Silver Rain».


(Novo álbum-Silver Rain)

Quem está familiarizado com os lançamentos anteriores de Marcus Miller, como «Tales» e «The Sun Don’t Lie», para já não falar da quantidade de bandas sonoras e hits que produziu e compôs para tantos artistas conhecidos, está habituado a compreender a capacidade de Miller de criar música que emocionalmente inspira e informa o ouvinte. «Silver Rain» não é excepção, com sete temas originais e três versões («Frankenstein», de Edgar Winter, «Boogie On Reggae Woman» de Stevie Wonder, com Macy Gray na voz e «Power of Soul», de Jimi Hendrix), que demonstra toda a capacidade de um dos melhores baixistas eléctricos da actualidade, influência para toda uma nova geração de jovens músicos.

Boss AC, o poeta das ruas


É o regresso do grande poeta urbano. Depois de “Mandachuva” (1998) e “Rimar Contra a Maré” (2002), Boss AC assina neste seu terceiro álbum de originais – “Ritmo, Amor e Palavras” – uma declaração de amor expressa na diversidade de palavras e ritmos com que constrói a sua música. Um disco que se aventura por diversos quadrantes sonoros e que se pode gabar de apresentar uma galeria impressionante de convidados, nacionais e internacionais. Boss AC neste terceiro álbum de originais – “Ritmo, Amor e Palavras” – constrói na sua música, um disco que entra em diversos quadrantes, numa galeria impressionante de convidados, nacionais e internacionais, como Sam The Kid, Gutto, Pac e Virgul (Da Weasel), Pos (Com misturas de Troy Hightower (De La Soul , Busta Rhymes, LL Cool J, Outkast e Janet Jackson), no Hightower Productions, e masterização de Jim Brick , no Absolute Audio (Mariah Carey, Puff Daddy e Mos Def), ambos em NY, “Ritmo, Amor e Palavras” , sons tão diversos como o rock e os ritmos tradicionais africanos, à Soul e ao R&B, numa toada que é um verdadeiro exemplo de liberdade criativa, num Cd para um artista que se torna um caso ímpar na música urbana tuga

quinta-feira, julho 28, 2005

Gorillaz....Som das ruas...

Gorillaz, como um género musical torna-se algo difícil de definir pois o grupo adquiriu bases em vários tipos musicais, como rap,house, rock,phunk, reagge e até chill-out.
Como album de apresentação surgiu o album "Gorillaz" em 2000 que rapidamente puseram milhares de pessoas a cantarolar as principais faixas como:"Tomorrow Comes Today", "Clint Eastwood" e até "19-2000". Surgiram com um conceito de imagem completamente diferente do normal, pois a sua "imagem de marca" não são os músicos ou um logotipo, mas sim cartoons que representam cada um dos elemtos do grupo.
Após 5 anos surge o 2º album entitulado "Demon Days" e é neste album em que a mensagem que pretende ser transmitida pelo grupo é a forma com está organizada a sociedade, e apontando o dedo a quem pretende que esta se mantenha corrupta. Surgem como principais temas músicas como:"Feel Good Inc.", "Kids With Guns" e "Demon Days".

Video-Clip do Single: Feel Good. Inc

Curiosamente entre os dois albuns existe uma relação que inicialmente pode parecer estranha. No 1º album há uma faixa denominada Clint Eastewood, o famoso actor e recentemente produtor de filmes, e no segundo surge uma faixa com o nome de Dirty Harry, que era uma personagem que marcou Clint Eastwood, fazendo de detective da polícia que fazia justiça nem sempre pelos meios mais correctos e que sempre vingava as vítimas. Será este o objectivo do grupo Gorillaz???... Vingar os mais fracos... Não me parece mal..


Discurso de Inauguração.

Ora pois então está você aqui a pensar, que raio é que dois jovens estudantes querem fazer passar com este blog. A resposta é simples!... Aaaaa....Bem... Quer dizer... Não é assim tão simples.
Este blog foi criado como um pequeno apêndice auditivo de diversos tipos de música, onde são divulgados novos sons e mais importante ainda é feita uma pequena análise, não esquecendo como é obvio as suas origens, (no caso de existirem como é óbvio).
Queremos essencialmente criar aqui um local onde a música é o tema central.
Passo agora a dizer que todas a novas opiniões são bem-vindas e que esperamos pelos vossos post's.



Sem mais nada a acrescentar o nosso obrigado, por terem visitado o nosso blog...

Os melhores cumprimentos de:

Guilherme Xarim(Administrador)
&
Jaime Gomes(sócio Maioritário)